Conferência Episcopal Portuguesa  Instru&ccedi...

A Conferência Episcopal Portuguesa, na Assembleia Plen...

Plano Pastoral


Eventos


Bispo Diocesano


Vaticano


Notícias em Destaque


DIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRAMISSA DO ESPÍRITO SANTO2019.03.01 Caríssimos irmãos e irmãs! Escolhemos para este dia da Universidade de Coimbra a celebração da Missa Votiva do Espírito Santo por Ele ser o Espírito da Verdade. A vocação desta casa pode definir-se como a da procura da verdade sobre o homem, sobre o mundo e sobre Deus, como caminho e método da realização humana marcada pelo desejo de realização e felicidade, ou seja, de verdadeira salvação. Não se trata simplesmente da procura de uma verdade especulativa, prerrogativa da dimensão teórica, mas de uma verdade que inclui a dimensão existencial e, portanto, todas as ciências voltadas para o bem maior de cada ser humano e de todos os seres humanos. A Universidade é um lugar de crescimento humano integral e, portanto, o seu trabalho há de ter uma finalidade e uma motivação que conduzam todos os intervenientes e meios a uma melhoria da pessoa situada na sua relação com os outros, com o mundo e com Deus. À pergunta tão presente no mundo juvenil acerca da utilidade de um curso, de uma matéria que se estuda ou de um esforço de conhecimento, a resposta da Universidade deve ser bem clara: levar-me a ser melhor pessoa e a contribuir para que sejamos melhores pessoas. Para um jovem estudante ou para um adulto docente, a consciência desta intencionalidade e a assunção desta motivação faz a diferença na sua atividade; para a Universidade, instituição dedicada a este serviço, proporcionar caminhos de conhecimento orientados para a construção de uma humanidade mais feliz constitui a sua maior obra. O Livro dos Atos dos Apóstolos, depois de narrar o episódio do Pentecostes, apresenta-nos os efeitos da ação do Espírito Santo, dizendo: “Os vossos filhos e as vossas filhas hão de profetizar; os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos terão sonhos”. Nestas três categorias de pessoas, os filhos e filhas, os jovens e os velhos, inclui-se toda a humanidade, que nunca se pode resignar ao que já conhece ou ao que já vive, mas tem inscrita no mais profundo de si mesma a vocação para mais. Por meio da referência à profecia, às visões e aos sonhos, o autor sagrado aponta-nos para a esperança fundada de chegar mais alto. Ao concluir com a referência à salvação, uma expressão recorrente no vocabulário cristão, o trecho há pouco lido reforça a certeza de que o maior bem de cada um e de todos constitui a maior profecia, a mais bela visão e o mais estimulante sonho da humanidade. Ao vir para a Universidade os jovens procuram encontrar os apoios necessários para a realização do grande sonho de construir um projeto de vida feliz, procuram as condições necessárias para uma vida realizada e salva. Por vezes chegam focados no imediatismo de um curso que lhes dê acesso ao mercado de trabalho, centrados na possibilidade de uma remuneração adequada, no gosto por uma área do conhecimento que parece oferecer-lhes um futuro desafogado, mas por detrás está sempre, mesmo que de forma implícita, uma visão mais vasta que a experiência refletida lhes deve proporcionar. A comunidade, com todas as suas instituições e, entre elas, a Universidade, presta-lhes um grande serviço se os ajuda a tornar consciente e explícito esse sonho profético. O texto do Evangelho introduz uma outra expressão típica do vocabulário bíblico: o anúncio da boa nova. Em primeiro lugar, trata-se do anúncio da Pessoa de Jesus Cristo, o Filho de Deus, com as suas palavras e gestos portadores de esperança para todos os que O conhecem, O escutam e acolhem os valores do Seu Reino. O anúncio da boa nova inclui também todas as felizes novidades que animam cada pessoa ao longo da vida, que fundamentam a esperança e dão razões para prosseguir contando com alegrias e sofrimentos, êxitos e fracassos. Os jovens deparam-se frequentemente com uma enorme escassez de felizes notícias e com uma superabundância de realidades desoladoras, que podem aniquilar os seus sonhos e matar a sua esperança. Se o anúncio da boa nova liberta e salva, as más experiências pessoais ou alheias podem matar. Também a comunidade humana nas suas diferentes realidades tem a missão de ser portadora de boas notícias e de proporcionar felizes experiências, capazes de alimentar a esperança e fazer desabrochar o melhor que há em cada pessoa. Numa fase decisiva da vida como é a juventude, a Universidade pode ser um fator decisivo na estruturação de uma pessoa e na consolidação de um projeto de vida marcado pela esperança; pode ser lugar e meio de anúncio de verdadeira boa nova a marcar a história de uma pessoa e da sociedade em que se situa; pode ser oportunidade única de descoberta e consolidação dos valores fundantes de um futuro mais humano e mais feliz. Neste dia festivo da Universidade de Coimbra, queremos pedir a Deus o dom do Espírito Santo para a grande comunidade académica. Que Ele nos conceda a graça de nos ajudarmos uns aos outros a construir projetos de vida alicerçados na caridade e na procura da verdade. Coimbra, 1 de março de 2019Virgílio do Nascimento AntunesBispo de Coimbra  
VIRGILIO DO NASCIMENTO ANTUNESBispo de Coimbra   Tendo-Nos sido propostos para homologação a Direcção e o Conselho Fiscal da Cáritas diocesana de Coimbra de harmonia com os seus Estatutos; HAVEMOS POR BEM: Homologar, por um quadriénio, os Corpos Gerentes propostos, constituídos da seguinte forma: Direcção: Presidente:        Cónego Dr. Luís Miguel Baptista CostaSecretária:         Drª Helena Cristina Gomes AfonsoTesoureira:         Engª Elisa Maria Marques Costa SantosVogais:               Me. António Alberto Lindo Jegundo da Cunha                            Dr. João Henrique Pereira Bento  Conselho Fiscal: Presidente:        Diácono Dr. Luís Henrique Ramos da Silva LouléVogais:               Dr. Paulo Nuno Correia Lucas                           Arq. Rui Miguel Freire Mendes Fernandes Coimbra, 12 de Fevereiro de 2019 Virgílio do Nascimento AntunesBispo de Coimbra
Partiu hoje para o Pai o Pe. António Joaquim de Almeida. O Pe. António nasceu em Folgosinho (Gouveia), Diocese da Guarda, em 08-08-1923. Entrou no seminário a 10-10-1935 em Viana do Castelo no seminário do Espírito Santo, tendo vindo depois para Coimbra. Foi ordenado por D. António Antunes em 10-08-1947 na igreja do Seminário Episcopal em Coimbra. No tempo de doação à Igreja foi pároco de Pala (1947-1948), de São Paulo de Frades (1948-1954), de Almalaguês (1954 a 1969), de Bendafé (1983-1989), de Vila Seca (1983-2002), de Castelo Viegas (1989-2015). Além disso foi professor no Ensino Particular Liceal e membro do Conselho Presbiteral (1986-1990). Residia, desde alguns anos a esta parte na Casa do Clero. As celebrações exequiais realizam-se sexta-feira dia 8 de Fevereiro. Haverá missa no Seminário Maior de Coimbra (10h30) e em Castelo Viegas (17h) esta presidida pelo Sr. Bispo, Dom Virgílio Antunes. Convidamos todos a unirem-se em oração de gratidão a Deus por este nosso irmão. Que descanse em paz!
VIRGÍLIO DO NASCIMENTO ANTUNESBISPO DE COIMBRA DECRETOSECRETARIADO DIOCESANO DA PASTORAL DA FAMÍLIA O Sínodo dos bispos sobre a família e a Exortação Apostólica do Papa Francisco “A Alegria do Amor” trouxeram de novo à Igreja a urgência de anunciar ao mundo a Boa Nova da família. A Diocese de Coimbra está  animada pelo desejo de dar continuidade a este projeto da Igreja e acolhe com confiança e esperança os desafios do Magistério Pontifício para o nosso tempo. Tendo em conta os longos anos de serviço do anterior Secretariado Diocesano da Pastoral da Família, acolhi o seu pedido de substituição e solicitei a constituição de um novo Secretariado. Em nome da Diocese e de todas as suas comunidades agradeço o grande e valioso serviço que prestaram e o amor que puseram em todas as atividades realizadas em favor das famílias. O novo Secretariado Diocesano da Pastoral da Família, agora constituído por um período de três anos, conta com os seguintes membros: Assistente EspiritualP. Nuno Miguel dos Santos Casal CoordenadorAugusto Franco Pinheiro PintoMaria do Rosário Salgado Lameiras dos Santos Pinheiro Pinto  Pedro Manuel de Jesus Lopes Duarte MendesKaren Soares Duarte Mendes Yriberto de Jesus Nunes Simões SantosMarisol dos Santos Castelo Branco Nunes Simões Hugo Sérgio Casimiro Paulino MonteiroCatarina Alexandra de Oliveira Esteves Daniel António Alves CarvalhoElza Correia Dias Carvalho Mário Rui Ferreira Mendes SimõesMarisol Matias Dias Simões Alberto Rui de Sousa e SilvaMaria Bernardete Pereira da Costa e Silva Emília de Oliveira Cardoso   Coimbra, 16 de janeiro de 2019 Virgílio do Nascimento AntunesBispo de Coimbra P. António Joaquim Farinha DominguesChanceler
VIRGILIO DO NASCIMENTO ANTUNESBispo de Coimbra  DECRETO COMISSÃO DIOCESANA DE PASTORAL DO TURISMO   Tendo em conta que o turismo se tornou o maior fenómeno de mobilidade humana nos nossos dias, o grande aumento da sua importância na área da Diocese de Coimbra e a oportunidade que constitui em ordem à evangelização, havemos por bem criar a COMISSÃO DIOCESANA DA PASTORAL DO TURISMO DA DIOCESE DE COIMBRA, com as seguintes funções: - coordenar a pastoral do turismo na Diocese de Coimbra; - incentivar a formação de operadores de turismo no que se refere à cultura cristã; - ajudar as comunidades que recebem turistas a criarem as condições para o acolhimento pastoral; - propor e implementar ações de evangelização dirigidas aos turistas, particularmente quando visitam os lugares e monumentos cristãos. Nomeio a Comissão Diocesana da Pastoral do Turismo, por três anos, constituída pelos seguintes membros: P. Carlos Alberto da Graça Godinho, presidenteCidália Maria dos SantosDiogo Manuel Valente RibasMargarida Maria Fernandes Henriques da Cunha Miranda da FrancaPaulo Miguel Gaspar de Jesus. Coimbra, 10 de janeiro de 2019 Virgílio do Nascimento AntunesBispo de Coimbra  P. António Joaquim Farinha DominguesChanceler