Cáritas de Coimbra é parceira em projeto internacional de robótica direcionada a idosos

A Cáritas Diocesana de Coimbra tem vindo a apostar na experimentação de novas tecnologias de apoio aos idosos, que melhorem a sua qualidade de vida e fomentem o envelhecimento ativo. Nesta área, está atualmente a participar no GrowMeUp, um projeto tecnológico cujo principal objetivo é aperfeiçoar e testar um robô inovador, o GrowMu, que irá apoiar pessoas com mais de 65 anos nas suas atividades diárias. 
Este projeto é cofinanciado pela União Europeia, no âmbito do programa de financiamento Horizonte 2020. Estão envolvidos oito parceiros de seis países diferentes, liderados pela Universidade de Coimbra (para além da UC e da Cáritas Coimbra participam a Universidade de Genebra, a Atrium-Orbis, a Universidade do Chipre, a PAL Robotics, a ProBayes e a Citard IT Services) e que irão cooperar no desenvolvimento do sistema.
O GrowMeUp é uma tecnologia que permite interagir com as pessoas idosas de uma forma mais humana, lidando com as suas necessidades e hábitos, adaptando dinamicamente as suas funcionalidades e aumentando assim a qualidade do serviço prestado ao longo do tempo, compensando a constante deterioração das capacidades cognitivas inerentes a pessoas na 3ª idade.  O robô virá equipado de um sistema de diálogo inteligente, detetará emoções demonstradas ao longo do diálogo, será capaz de manter interações e de “construir laços” com as pessoas. 
No âmbito deste projeto, a Cáritas de Coimbra coordena os trabalhos relacionados com a ética e a deontologia, sinalizando questões relacionadas com a introdução da robótica no quotidiano e com a segurança dos dados e privacidade e participa na experimentação desta tecnologia junto da população sénior. Aavaliação do sistema GrowMeUp será realizada em projetos piloto na Cáritas de Coimbra e na Orbis (Holanda), ao longo de seis meses, com a participação de cerca de 60 pessoas. O envolvimento dos idosos é importante desde o primeiro instante e, em Coimbra, os testes serão feitos na valência de Serviço de Apoio Domiciliário, envolvendo também cuidadores formais e informais do Centro Rainha Santa Isabel, do Centro Social e Comunitário N.ª Sr.ª dos Milagres e do Centro Social S. Pedro.
A expectativa é que este sistema traga benefícios práticos e contribua para o bem-estar psicológico e social, ajudando as pessoas de idade a manterem-se ativas nas suas casas, prolongando dessa forma a sua independência e qualidade de vida. O objetivo não é substituir a interação humana, mas sim complementar horários e serviços em que o cuidador formal ou informal não estaria disponível, minimizando os momentos de solidão e de menos apoio aos idosos que demonstrem interesse em participar nesta experiência, com o objetivo de prolongar a autonomia e suprir dificuldades na realização das atividades da vida diária.
Estima-se que a população da União Europeia aumente de 502 milhões, valor registado em 2010, para 517 milhões no ano 2060, data em que 30% dos europeus terá então pelo menos 65 anos. O aumento da esperança de vida é em si muito positivo e sinónimo da qualidade de vida alcançada pelas sociedades contemporâneas. Contudo, impõe desafios significativos para a economia, nomeadamente ao nível dos sistemas de saúde e de bem-estar. A Cáritas de Coimbra tem por isso desenvolvido esforços, procurando soluções alternativas, complementares e inovadoras que possam no futuro servir de resposta a  estas alterações demográficas, atendendo também à alteração das estruturas familiares e à sobrecarga dos cuidadores informais.