Mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais: Comunicar a Família

Celebra-se no dia 17 de Maio (Domingo da Ascenção), o Dia Mundial das Comunicações Sociais. A este propósito o Pe. Armando Duarte, presidente do Secretariado Diocesano das Comunicações Sociais da Diocese de Coimbra faz uma síntese da mensagem do Papa Francisco, recordando o ofertório para os meios de comunicação social da Igreja como é habitual nesse dia.

O Santo Padre destaca, na mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, a propósito da temática do Sínodo dos Bispos, “o ambiente privilegiado do encontro na gratuidade do amor: comunicar a família”. Parte, para a sua reflexão, do entro de Maria com sua prima Isabel. Afinal, “a família é o primeiro lugar onde aprendemos a comunicar”, lembra o Papa Francisco. E porque comunicar faz parte da natureza da Igreja, naturalmente se deve começar por aquela que é a célula fundamental da Igreja, a família. “Ainda antes de chegar ao mundo”, lembra Sua Santidade, o seio materno é “a primeira «escola» de comunicação”! Tudo isto resulta, a partir do encontro entre dois seres, como “primeira experiência de comunicação”. É em família que aprendemos a falar, e entramos no circuito, que é “paradigma de toda a comunicação”, refere a mensagem pontifícia.
Na família, podemos “compreender o que é verdadeiramente a comunicação”, não nos encerrando em nós mesmos, saindo ao encontro, e acolhendo-nos, como Maria e Isabel no episódio da Visitação. Neste espírito, saberemos superar as nossas fragilidades, enfrentar as limitações, apoiar as carências, e teremos as condições para aprender uma verdadeira “dinâmica de comunicação”. As próprias famílias, marcadas pela experiência de filhos com deficiência, podem proporcionar o ambiente para o acolhimento, e vencer a exclusão, ajudando-as a ser “escola de comunicação, feita de bênção”.
Os modernos meios de comunicação, sobretudo aos jovens, podem ajudar ou dificultar a comunicação em família e entre famílias, lembra o Santo Padre. É preciso descobrir e valorizar o centro vital do encontro, e criar na família o ambiente da comunicação, para seja uma comunidade verdadeiramente comunicadora. A beleza e a riqueza da comunicação entre a família, homem e mulher, pais e filhos, são ambiente imprescindível para a construção do futuro, em verdadeira comunicação.