Homilia - Vigília Pascal - Sé Nova - 04-04-2015

Nesta noite santa da Páscoa refazemos o percurso da nossa vida de fé, nascida no batismo em que fomos sepultados com Cristo na morte, para com Ele ressuscitarmos para a vida. Batizados há muito tempo ou recém batizados, estamos agora unidos pelos mesmos laços espirituais, fazemos parte do mesmo Corpo de Cristo, participamos da comunhão com Deus Santíssima Trindade e estamos disponíveis para participar da comunhão da Igreja. 
Convido-vos a todos, mas de um modo especial aos novos filhos de Deus, que agora vão receber o batismo, a alegrarmo-nos pelo dom inestimável que recebemos e cujo valor nos escapa e nos ultrapassa. Quem somos nós para participar da comunhão com Deus e com a sua Igreja? Sem mérito nenhum da nossa parte, fomos admitidos a esta santa família de Deus e pudemos acolher as primícias dos dons eternos. 
Esta entrada pela porta da fé em resposta a uma eleição e a um chamamento que o Senhor misericordioso nos fez, pôde obter, em virtude da graça que nos foi concedida, uma resposta favorável. A totalidade da nossa vida e não apenas alguns dos seus momentos, deve constituir essa resposta cabal, que inclua toda a nossa capacidade de acreditar, de esperar e de amar. 
Exorto-vos a todos, caríssimos irmãos, e especialmente aos  que  vão ser batizados, a cultivardes uma proximidade com Jesus Cristo que seja o verdadeiro suporte da vossa fé e da vossas vida. Ele quer habitar nos vossos corações, ser acolhido como um amigo, fortalecer a vossa vontade, apoiar os vossos esforços no sentido da bondade, da fidelidade e do amor.
Esta vida de Cristo que, agora, habita em vós, precisa de ser cultivada com amor, por meio da celebração da liturgia, da oração cristã, da leitura orante da Palavra de Deus e da participação ativa na vida da comunidade cristã. 
Quanto mais entrardes em profundidade nesse santuário interior do encontro com Deus, mais sentireis a sua presença reconfortante; quanto mais vos entusiasmardes pela participação na vida da sua Igreja, mais a conhecereis com uma mãe e uma mestra, que acolhe, ensina e ama. 
Procurai dar bom testemunho da vossa fé, por palavras e por obras. Não tenhais medo de manifestar o vosso amor a Cristo pelo acolhimento do seu estilo de vida e mostrando publicamente a vossa adesão à fé cristã. Procurai dar bom testemunho de amor à Igreja que, apesar de todas as debilidades dos seus membros, é Corpo de Cristo e Sacramento Universal da Salvação. 
Esforçai-vos por seguir a palavra da Epístola aos Romanos que nos ordena de morrer para o pecado e viver para Deus, em Cristo Jesus. Aquilo que se realiza sacramentalmente em nós, precisa agora do assentimento constante da nossa vontade; em resposta ao dom que recebemos, tudo faremos para conduzir a vida para Deus, para ser os homens novos que tornarão novas as realidades que tocam. 
Pelo sacramento a Confirmação recebereis a abundância dos dons do Espírito Santo que, vos conduzirá no amor a Deus e aos irmãos, que será a vossa fortaleza nos momentos de debilidade e a vossa consolação nos sofrimentos. Acolhei-o como Espírito de Amor, que vos ensinará a encher de amor a vossa vida e a viver desde já no gozo da bem-aventurança que virá.

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano