MENSAGEM NO DIA DA IGREJA DIOCESANA 2013

Caríssimos irmãos e irmãs

Saúdo-vos na alegria e na paz de Deus Pai, como irmão e amigo, no amor do Senhor Jesus Cristo, o nosso Bom Pastor, e na comunhão do Espírito Santo, que nos une.

Convosco e por vós dou graças e louvores à Santíssima Trindade, que nos chamou à fé e nos congregou nesta Igreja Particular, a nossa amada diocese de Coimbra. Agradeço a Deus os muitos e grandes testemunhos da “alegria de crer”, que tenho encontrado por toda a Diocese; agradeço-Lhe o trabalho de tantos cristãos que, nas suas comunidades, mostram o grande “entusiasmo de comunicar a fé”; agradeço-Lhe ainda a generosidade e a disponibilidade de todos os que servem as comunidades cristãs das mais variadas formas, sobretudo na liturgia, na catequese e na ação caritativa.

Estamos a celebrar o Dia da Igreja Diocesana no contexto dos novos Arciprestados com uma configuração, cuja necessidade já se vinha a sentir há alguns anos. A vitalidade que está a gerar-se ao nível das equipas sacerdotais, dos Conselhos Pastorais e, no futuro, das Unidades Pastorais, deverá ajudar-nos a uma maior fecundidade na celebração da fé e no testemunho cristão por parte de sacerdotes, diáconos, religiosos, consagrados e leigos. Na comunhão com Deus, Santíssima Trindade, na comunhão com a Igreja e na comunhão fraterna, construiremos comunidades de discípulos, evangelizadas e evangelizadoras. Queremos que a nossa Igreja Diocesana corresponda cada vez melhor às exigências do tempo presente e realize plenamente a missão que Deus lhe confiou: levar a todos a Boa Nova da Salvação e o conhecimento de Cristo, único Salvador.

Aproximam-se dois momentos importantes de manifestação da vitalidade da nossa fé: a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpo de Deus), no dia 2 de junho, na qual professamos a nossa fé na Eucaristia; e a peregrinação diocesana a Fátima, no dia 22 de junho, pela qual manifestamos a nossa filial devoção a Nossa Senhora, Mãe de Cristo, Mãe da Igreja e nossa Mãe. Convido-vos a participar neles, pois muito ajudarão a revigorar a alegria e o entusiasmo deste povo que caminha cheio de esperança ao encontro do Senhor.

A concluir esta mensagem, e como vosso pastor, suplico-vos que, acima de tudo, vivais o mandamento novo que o Senhor nos deixou, quando nos disse: “amai-vos uns aos outros com Eu vos amei!” (Jo 15, 12).

Saúdo cada um de vós, confio-vos à proteção de Nossa Senhora e abençoo-vos em nome da Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo. Ámen.

 

+ Virgílio do Nascimento Antunes

Bispo de Coimbra

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano