Ano da Vida Consagrada - Nota Pastoral

Caríssimos irmãos e irmãs da Diocese de Coimbra

A Igreja inicia no primeiro domingo do Advento o Ano da Vida Consagrada, que se prolongará por 2015.

É uma feliz oportunidade para recordarmos o passado com gratidão, uma vez que somos testemunhas do lugar que ocuparam e do bem que fizeram os consagrados ao longo dos séculos. À Igreja deixaram um legado imenso de santidade e vivência radical do Evangelho, bem como um percurso extraordinário de evangelização dos povos. À nossa Diocese de Coimbra deixaram o testemunho da proximidade na ação social e caritativa, da promoção académica e cultural e da profundidade no cultivo da vida espiritual assente nos valores do Evangelho.

O Ano da Vida Consagrada deve ajudar-nos a viver o futuro com paixão. Ao conhecermos melhor o modo de vida dos consagrados as suas motivações, poderemos sentir-nos interpelados pela grandeza do amor de Deus que os chama e que os leva a fazer uma opção de vida fundada na fé. Num tempo em que é difícil assumir compromissos para toda a vida, os consagrados testemunham que a sua grande paixão por Deus e pela humanidade, sinal de um amor maior, é caminho a percorrer também no nosso tempo. Os conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência, assumidos com heroicidade, ajudam a entender o mundo de outra maneira e a valorizar os outros por amor.

No meio de todas as nuvens escuras que ensombram a humanidade, são necessárias muitas luzes de esperança para orientar o nosso futuro. Os consagrados, na variedade das suas vocações, são um grande fermento desse clarão de esperança que tanta falta faz à Igreja e ao mundo. Pedimos, por isso, ao Senhor, que conceda à Igreja e à nossa Diocese muitas e santas vocações de consagração.

Aos queridos irmãos e irmãs consagrados presentes na Diocese de Coimbra ou dela originários, manifesto em nome desta Igreja Particular toda a gratidão que lhes devemos por serem entre nós sinal claro do Reino dos Céus e dos valores eternos.

Às comunidades cristãs convido a acolher com o coração aberto as propostas que, ao longo deste ano, os consagrados irão fazer para dar a conhecer a sua vocação, e convido a rezar por eles, para que sejam fiéis a Cristo e à Igreja, segundo o dom que receberam.

A todos exorto a trabalhar em favor da promoção da consagração por amor do Reino dos Céus e a invocar o Espírito Santo a fim de podermos ver uma nova primavera na Igreja.

Invoco para todos a materna proteção de Nossa Senhora e a bênção de Deus.


Coimbra, 28 de novembro de 2014

 

Virgílio do Nascimento Antunes
Bispo de Coimbra

 

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano