Nota Pastoral Dia da Igreja Diocesana

NOTA PASTORAL DO BISPO DE COIMBRA SOBRE O DIA DA IGREJA DIOCESANA DE 2016
ESCOLHEU-NOS COM MISERICÓRDIA
CORRESPONSÁVEIS NA AÇÃO PASTORAL

A 22 de maio, Solenidade da Santíssima Trindade, celebramos o Dia da Igreja Diocesana. Este dia de ação de graças tem como objetivo principal ajudar-nos a crescer na unidade e na comunhão enquanto Igreja Local ou Diocese, na qual está presente e atuante a verdadeira Igreja de Jesus Cristo. De fato, recebemos o batismo, professamos a fé na Santíssima Trindade, celebramos a eucaristia, acolhemos a Palavra de Deus, somos comunidade na caridade e temos a garantia da sucessão apostólica.

Corresponsáveis na ação pastoral
Em contexto de Ano Jubilar e na linha do Plano Pastoral que há três anos estamos a executar na Diocese de Coimbra, elegemos como tema para o Dia da Igreja Diocesana de 2016: Escolheu-nos com misericórdia - corresponsáveis na ação pastoral.
A corresponsabilidade é um tema de uso frequente após o Concílio Vaticano II, que nos trouxe algumas acentuações importantes acerca do modo de sermos Igreja de Cristo no nosso tempo. A Constituição Dogmática sobre a Igreja, a Luz dos Povos, declarou que a Igreja é Povo de Deus, ou seja, afirmou a igual dignidade de todos os que foram batizados em Cristo morto e ressuscitado. Embora haja nela diferentes vocações, carismas, serviços e ministérios, todos se orientam para o bem do Corpo, para a edificação do Povo de Deus na santidade e para o testemunho do Evangelho da salvação a toda a Terra.
Felizmente a nossa Diocese tem vindo a dar, desde há muitos anos, passos muito significativos no sentido da corresponsabilidade dos cristãos, ministros ordenados, consagrados e leigos, mas há ainda um longo caminho a percorrer. Vemos que há ainda atitudes muito diversas no que diz respeito ao modo de sentir a Igreja e de lhe pertencer. Por isso definimos como um dos objetivos do Plano Pastoral Diocesano “Desenvolver nos cristãos o sentido de pertença eclesial”. Trata-se de criar os laços da fé que nos leva a entender a Igreja como Corpo de Cristo, comunidade humana e divina, e de criar os laços do amor, que nos leva a gostar da Igreja, a amá-la, a sentir-se feliz por fazer parte dela, a trabalhar para o seu crescimento e a torná-la fermento que leveda o mundo .
A ação pastoral é a ação da Igreja que colabora com Cristo, o Bom Pastor, na evangelização do mundo, na santificação da comunidade cristã e no acolhimento marcado pela caridade e pela misericórdia. Cada um segundo o dom que recebeu, a sua vocação e o seu estado de vida, se cresceu no sentido de pertença à Igreja, sente que tem de ser nela um membro vivo e ativo. Em comunhão com os que foram escolhidos para ser pastores na Igreja, os fiéis, consagrados ou leigos, são chamados a trabalhar na ação pastoral em ordem ao crescimento das comunidades cristãs.

No contexto das unidades pastorais
O Dia da Igreja Diocesana de 2016 será celebrado nas unidades pastorais, dando cumprimento ao quarto objetivo que definimos: “Fomentar a corresponsabilidade pastoral nas unidades pastorais”.
Estamos numa fase muito exigente da vida da Igreja Diocesana, em que é necessário adequar as estruturas pastorais tradicionais às novas circunstâncias. De acordo com a reflexão, já longa, realizada na Diocese, as unidades pastorais constituem a forma que nos parece mais indicada para que a Igreja realize a sua missão no presente e no futuro.
Também aqui estamos a fazer um caminho que pede conversão pastoral, renúncia a um modelo de vida paroquial estabilizado durante vários séculos, disponibilidade de todos os fiéis para uma maior participação, abertura das paróquias a uma ação conjunta com as outras paróquias.
Espero que no Dia da Igreja Diocesana as unidades pastorais possam organizar um programa que contemple um tempo de reflexão acerca dos caminhos a percorrer para que as unidades pastorais se tornem uma realidade mais consistente e a missão da Igreja se realize. Entre outros aspetos, poderão abordar as seguintes questões relativas à organização da vida da unidade pastoral: conselho pastoral; equipa de animação pastoral; plano e calendário de atividades; formação de agentes pastorais; evangelização e catequese de crianças e jovens; catequese de adultos; principais celebrações do ano litúrgico; ação social e caritativa.

No dinamismo da Igreja Sinodal
O Concílio Vaticano II levou-nos a compreender melhor que a Igreja é um Povo a caminho, ou seja, é sinodal, uma vez que somos chamados a fazer o caminho juntos, com Cristo e na comunhão de todos os fiéis.
Sermos Igreja sinodal significa que todos havemos de participar em todas as fases da ação pastoral: na reflexão, na decisão, na programação e na execução dos objetivos definidos e propostos a toda a comunidade pelo bispo diocesano.
A fim de tornar efetivo este modo de ser Igreja, inspirado pelo Espírito Santo, temos vindo a valorizar muito os órgãos de participação e corresponsabilidade eclesial, como são os conselhos pastorais, na paróquia, na unidade pastoral ou na diocese.
Neste sentido, e para que toda a Diocese se sinta envolvida e participante na vida e na pastoral da Igreja, dedicaremos o próximo ano à avaliação do modo como executámos o Plano Pastoral de 2013-2016 e à elaboração dos objetivos do Plano Pastoral para 2017-2020.
Trata-se da implementação de uma dinâmica sinodal na Diocese de Coimbra, segundo a qual, os conselhos pastorais, mas também os secretariados, paróquias, movimentos, associações, famílias ou fiéis, são convidados a avaliar o trabalho realizado e a sugerir linhas de ação para o futuro.
Em setembro será publicado um guião para orientar esta dinâmica sinodal, onde se incluem todas as indicações necessárias para que se alcancem bons frutos.
Peço, desde já, a todos, a melhor disponibilidade para acolher este caminho, que nos parece em plena sintonia com o Concílio Vaticano II e com a conversão pastoral a que o Papa Francisco nos convidou na Encíclica, A Alegria do Evangelho.

Ao ritmo da comunhão diocesana
Concluo esta breve nota com um forte apelo à comunhão de toda a Igreja Diocesana, que se manifesta também na unidade da ação pastoral. Em sintonia com Deus, Santíssima Trindade, e unidos no amor fraterno uns aos outros, damos ao mundo o testemunho que o Senhor nos pede para que o mundo creia e seja salvo.
Junto a indicação das datas de algumas realizações diocesanas, em cuja participação demonstraremos a comunhão como marca da nossa identidade:

Jornadas pastorais do clero: 20-21 de setembro de 2016.
Abertura solene do ano pastoral: 25 de setembro de 2016.
Encerramento do ano santo da misericórdia: 20 de novembro de 2016.
Jornadas diocesanas de formação permanente: 17-19 de janeiro de 2017.
Dia da Igreja Diocesana: 11 de junho de 2017
Solenidade do Sagrado Coração de Jesus – assembleia do clero: 23 de junho de 2017.
Peregrinação diocesana a Fátima: 8 de julho de 2017.

Dou graças a Deus pelo chamamento que nos faz para que vivamos no seu amor e sejamos a sua Igreja santa, acolhendo e testemunhando a sua misericórdia. 
De todo o coração, desejo-vos uma feliz celebração do Dia da Igreja Diocesana, invoco a bênção de Deus e a proteção de Nossa Senhora, a Mãe da Misericórdia.

 
Coimbra, 17 de abril de 2016

 

 

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano