Dia da Universidade de Coimbra - Homilia Dom Virgílio

DIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA
MISSA DO ESPÍRITO SANTO
2019.03.01

Caríssimos irmãos e irmãs!

Escolhemos para este dia da Universidade de Coimbra a celebração da Missa Votiva do Espírito Santo por Ele ser o Espírito da Verdade. A vocação desta casa pode definir-se como a da procura da verdade sobre o homem, sobre o mundo e sobre Deus, como caminho e método da realização humana marcada pelo desejo de realização e felicidade, ou seja, de verdadeira salvação.

Não se trata simplesmente da procura de uma verdade especulativa, prerrogativa da dimensão teórica, mas de uma verdade que inclui a dimensão existencial e, portanto, todas as ciências voltadas para o bem maior de cada ser humano e de todos os seres humanos.

A Universidade é um lugar de crescimento humano integral e, portanto, o seu trabalho há de ter uma finalidade e uma motivação que conduzam todos os intervenientes e meios a uma melhoria da pessoa situada na sua relação com os outros, com o mundo e com Deus. À pergunta tão presente no mundo juvenil acerca da utilidade de um curso, de uma matéria que se estuda ou de um esforço de conhecimento, a resposta da Universidade deve ser bem clara: levar-me a ser melhor pessoa e a contribuir para que sejamos melhores pessoas.

Para um jovem estudante ou para um adulto docente, a consciência desta intencionalidade e a assunção desta motivação faz a diferença na sua atividade; para a Universidade, instituição dedicada a este serviço, proporcionar caminhos de conhecimento orientados para a construção de uma humanidade mais feliz constitui a sua maior obra.

O Livro dos Atos dos Apóstolos, depois de narrar o episódio do Pentecostes, apresenta-nos os efeitos da ação do Espírito Santo, dizendo: “Os vossos filhos e as vossas filhas hão de profetizar; os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos terão sonhos”. Nestas três categorias de pessoas, os filhos e filhas, os jovens e os velhos, inclui-se toda a humanidade, que nunca se pode resignar ao que já conhece ou ao que já vive, mas tem inscrita no mais profundo de si mesma a vocação para mais.

Por meio da referência à profecia, às visões e aos sonhos, o autor sagrado aponta-nos para a esperança fundada de chegar mais alto. Ao concluir com a referência à salvação, uma expressão recorrente no vocabulário cristão, o trecho há pouco lido reforça a certeza de que o maior bem de cada um e de todos constitui a maior profecia, a mais bela visão e o mais estimulante sonho da humanidade.

Ao vir para a Universidade os jovens procuram encontrar os apoios necessários para a realização do grande sonho de construir um projeto de vida feliz, procuram as condições necessárias para uma vida realizada e salva. Por vezes chegam focados no imediatismo de um curso que lhes dê acesso ao mercado de trabalho, centrados na possibilidade de uma remuneração adequada, no gosto por uma área do conhecimento que parece oferecer-lhes um futuro desafogado, mas por detrás está sempre, mesmo que de forma implícita, uma visão mais vasta que a experiência refletida lhes deve proporcionar. A comunidade, com todas as suas instituições e, entre elas, a Universidade, presta-lhes um grande serviço se os ajuda a tornar consciente e explícito esse sonho profético.

O texto do Evangelho introduz uma outra expressão típica do vocabulário bíblico: o anúncio da boa nova. Em primeiro lugar, trata-se do anúncio da Pessoa de Jesus Cristo, o Filho de Deus, com as suas palavras e gestos portadores de esperança para todos os que O conhecem, O escutam e acolhem os valores do Seu Reino. O anúncio da boa nova inclui também todas as felizes novidades que animam cada pessoa ao longo da vida, que fundamentam a esperança e dão razões para prosseguir contando com alegrias e sofrimentos, êxitos e fracassos.

Os jovens deparam-se frequentemente com uma enorme escassez de felizes notícias e com uma superabundância de realidades desoladoras, que podem aniquilar os seus sonhos e matar a sua esperança. Se o anúncio da boa nova liberta e salva, as más experiências pessoais ou alheias podem matar.

Também a comunidade humana nas suas diferentes realidades tem a missão de ser portadora de boas notícias e de proporcionar felizes experiências, capazes de alimentar a esperança e fazer desabrochar o melhor que há em cada pessoa.

Numa fase decisiva da vida como é a juventude, a Universidade pode ser um fator decisivo na estruturação de uma pessoa e na consolidação de um projeto de vida marcado pela esperança; pode ser lugar e meio de anúncio de verdadeira boa nova a marcar a história de uma pessoa e da sociedade em que se situa; pode ser oportunidade única de descoberta e consolidação dos valores fundantes de um futuro mais humano e mais feliz.

Neste dia festivo da Universidade de Coimbra, queremos pedir a Deus o dom do Espírito Santo para a grande comunidade académica. Que Ele nos conceda a graça de nos ajudarmos uns aos outros a construir projetos de vida alicerçados na caridade e na procura da verdade.

Coimbra, 1 de março de 2019
Virgílio do Nascimento Antunes
Bispo de Coimbra