Mensagem para Quaresma

QUARESMA DE 2016, NO ANO SANTO DA MISERICÓRDIA
MENSAGEM DO BISPO DE COIMBRA

A Quaresma reveste-se, este ano, de particular significado e importância para os cristãos da Diocese de Coimbra. O Papa Francisco convocou toda a Igreja para a celebração do Ano Santo da Misericórdia, um jubileu extraordinário, que nos leva a conhecer Jesus, o rosto da misericórdia do Pai. Como filhos amados da Igreja e porção do Povo de Deus, acolhemos o tempo de graça que ela nos concede ao oferecer-nos meios especiais de conversão em ordem à salvação.
Fazendo-me eco da voz da Igreja, expressa pela palavra do Papa, convoco todo o Povo de Deus da Diocese de Coimbra para viver este tempo de graça com uma renovada fé no Deus que nos procura com um amor misericordioso, tal como o pai procura o seu filho perdido. Por muito longe que andemos, Ele nunca nos esquece e está sempre a caminho para que o encontro se dê e possamos, de novo, sentir o calor do seu abraço.
Jesus, o rosto da misericórdia de Deus Pai, está presente em todas as situações da nossa vida e disponível para mediar esse encontro. Por Ele conhecemos o Pai, vemos como nos trata com amor e podemos encontrar a consolação da esperança que não morre.

Convido toda a comunidade diocesana a percorrer os caminhos propostos para este ano jubilar, que a seguir enuncio, em ordem a acolher, viver e testemunhar a misericórdia de Deus, especialmente neste tempo da Quaresma.
Lectio divina. A leitura orante da Palavra de Deus individualmente, em família ou em grupo, com a ajuda do texto disponível nas paróquias, leva à escuta da voz de Deus, ao silêncio, à meditação, à oração contemplativa e ao compromisso na ação. Insere-te num grupo de lectio divina na tua paróquia e entra no coração de Deus por meio da Palavra da Escritura.
Sacramento da Penitência. A misericórdia de Deus experimenta-se sacramentalmente quando reconhecemos e confessamos os nossos pecados, manifestando o desejo de receber o perdão gratuito, o abraço do Pai, o maior sinal do Seu amor. Procura um momento para a confissão, na tua paróquia ou na Igreja de Santa Cruz de Coimbra, o Santuário da Reconciliação.
Peregrinação. A caminhada que se inicia na Igreja de Santa Cruz, passa pela Sé Velha e conduz a transpor a Porta Santa do Jubileu, na Sé Nova, é imagem da disponibilidade que manifestamos para ir ao encontro de Jesus Cristo, a única Porta da Salvação. Participa na peregrinação jubilar do teu arciprestado ou escolhe um dia para percorrer este caminho simbólico até à Porta Santa.
Obras de misericórdia. O melhor sinal de que acolhemos o dom da misericórdia de Deus é a prática das obras de misericórdia corporais e espirituais, outro nome para a caridade ou o amor fraterno. Elege algumas delas como programa de vida, sobretudo as que te levam ao encontro dos pobres, dos doentes, dos sós, dos que vivem sem amor.
24 horas para o Senhor. A oração mais intensa leva ao encontro pessoal com Deus, a quem se escuta com a mente e o coração e a quem se responde com a vida. Toda a Quaresma é convite à oração pessoal, familiar e comunitária, manifestação de fé e amor a Deus e ao próximo. Participa na iniciativa 24 horas para o Senhor, proposta pelo Papa Francisco, que se realiza nas paróquias e arciprestados no fim de semana de 4 e 5 de março.
Solidariedade. A partilha de bens com os mais pobres é sinal do amor para com todos, que o Deus rico de misericórdia nos inspira. A prática da renúncia quaresmal, tão antiga na Igreja, um dos frutos do jejum e da penitência, ajuda a sentir que a vida é um dom, que se partilha com os outros. O produto da nossa renúncia quaresmal deste ano destina-se à formação sacerdotal e ao nosso Seminário Diocesano, na celebração dos 250 anos da sua fundação.

Vivamos a Quaresma com Maria, a Mãe da Misericórdia. Ela foi a primeira a acolhê-la na pessoa de Jesus, Ela conheceu-a na pobreza da sua vida e cantou-a no magnificat como o dom de Deus que “se estende de geração em geração sobre aqueles que O temem” (Lc 1, 50).
Por intercessão de Nossa Senhora, a misericórdia de Deus chegará a todos nós, geração que, no tempo presente, a proclama bem-aventurada.

 

Coimbra, 29 de janeiro de 2016
Virgílio do Nascimento Antunes
Bispo de Coimbra

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano