Abertura do Ano Pastoral

A diocese de Coimbra abriu este fim de semana, oficialmente, o novo Ano Pastoral. Neste domingo, uma grande assembleia de membros da comunidade diocesana congregaram-se em Coimbra, na Sé Nova, para inaugurar este novo ano dedicado à corresponsabilidade dos díscipulos Jesus. O terceiro ano do plano pastoral diocesano é dedicado à comum responsabilidade de todos os baptizados na missão da Igreja.

A tarde começou com uma conferência proferida pelo Dr. Juan Ambrósio,  professor da Universidade Católica. Nela, o conferencista, ajudou a contemplar a necessidade de todos se sentirem membros responsáveis da construção da Igreja e do anúncio do Evangelho. Cada um na missão específica da sua vocação, mas todos necessários.

Depois da conferência, o Senhor D. Virgílio presidiu à celebração da Eucaristia, na qual foram instituídos leitores, 18 candidatos ao diaconado permanente.

 Na homilia o Senhor D. Virgílio referiu que todos somos chamados, em primeiro lugar ao encontro pessoal com Cristo e a sermos instrumentos para que os outros O possam encontrar também e abrir-se o Reino de Deus. Disse ainda que «quando este encontro pessoal com Cristo e com a sua Igreja se dá, cresce a comunidade dos discípulos, sentimo-nos membros vivos, ativos e comprometidos da Igreja, dispomo-nos a evangelizar, ou seja, a fazer o anúncio do que conhecemos e amamos, a passar o nosso testemunho credível, por meio de palavras e de gestos cheios de significado, porque são a nossa vida».

Partindo das leituras da Eucaristia, referiu que «o sacramento do matrimónio é esse selo de Deus, que abençoa e fortalece com a graça do seu Espírito para que os esposos construam a comunidade de vida e amor, desejada desde o princípio pelo Criador, como vocação à santidade e caminho de felicidade», e que o Sínodo dos Bispos, ao refletir sobre esta questão, quer repropor aos baptizados este caminho que tem de partir, também ele, do encontro pessoal com Cristo.

Dirigindo-se por fim aos candidatos ao diaconado que iriam ser instituídos leitores, desafiou-os em «primeiro, que sejais bons ouvintes da Palavra. Procurai lê-la, rezá-la, meditá-la e contemplá-la assiduamente, sob a guia do Espírito Santo, como Maria. Ela há-de cumprir-se em vós e fará crescer em vós o reino de Deus. Em segundo lugar, pedimos-vos que sejais testemunhas da Palavra com a vossa vida e que a deis a conhecer aos homens a quem sois enviados por meio dos mesmos gestos que o Senhor usa com todos os que são como as crianças: “abraçando-as, começou a abençoá-las, impondo as mãos sobre elas”.»

Plano Pastoral


Bispo Diocesano


Vaticano